SINDFESP - SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS DA FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017
FILIE-SE
 

Verdades, mentiras, assessores, marqueteiros, ex, e... a corrupção (28/02/2016)

  • <iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/xK_U0Dk5wRA" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>


    João Santana, marqueteiro do PT, preso. Prisão temporária, que vence quinta. Se tornada preventiva, sem prazo pra acabar, se terá pistas dos rumos da investigação.

    Esse é um jogo de sombras. Há um alvo, verdades, meias verdades, e mentiras. Em relatório, delegados da Policia Federal informaram ao juiz Moro:

    -Os valores referentes ao trabalho de João Santana desde 2006 totalizam 171 milhões, 552 mil...

    Concluíram os delegados: "Não há, isso deve ser ressaltado, indícios de que tais pagamentos estejam revestidos de ilegalidades".

    Em despacho, Moro disse:

    -Ao que tudo indica os recursos foram declarados.

    É óbvio o jogo de meias verdades, verdades, e mentiras, ainda que o governo simule crer nesse relatório... Afinal, Santana está preso.

    Como é natural, manchetes e atenção total para o caso. Por isso é útil se ver também o que não se quer percebido, desventrado.

    Nas redes sociais, fúria no bando do moralismo caolho. À menção de investigação para demais campanhas e formas de pagamento, brotam ódio, ignorância.

    Espanto, perplexidade quando se vê o passivo de muitos dos que escrevem, ou bradam contra a corrupção e festejam panelas de ocasião.

    Muitos, muitas, são ou foram marqueteiros, assessores. Conhecem os bons, mas também os maus hábitos desse vasto mundo.

    Mundo com portas de ir e vir entre o jornalismo e a comunicação corporativa e politica.

    Em campanhas, assessorias, agências de intermediação de informações, não poucas vezes o trabalho é exatamente pontificar sobre a corrupção, o Caixa II... dos adversários.

    O espanto se dá quando marqueteiros, assessores, ou ex, surgem pontificando sobre corrupção. A alheia. Jamais sobre a que vivenciaram, ou da qual se aproveitaram.

    Esse mundo não é e não funciona só assim. Mas foi, é muitas vezes também assim. Hipócrita, cínico.

    Não só assim, é claro, mas também assim se forma, ou se deforma, a opinião pública.

    Esse é um jogo de sombras. Em busca do futuro, pode esconder o passado. Pode expor o presente. Como pode camuflar o presente.


Copyright © SINDFESP - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por E-Assis